Livro: Eu sou o Mensageiro – Markus Suzak

Oi gente! Beleza?

Acredito que muitas pessoas chegaram ao Markus Suzak através do A menina que roubava Livros – eu simplesmente amo esse livro, o humor da morte é incrível e os diálogos são incríveis, ai <3. Um dia um IG que sigo no Instagram postou essa imagem abaixo e eu fui em busca do tal livro. E eis que hoje vamos resenhá-lo o/

Então bora começar essa resenha 😉

Eu Sou o Mensageiro – Markus Suzak

Intrínseca, 2007


Conheça Ed Kennedy: taxista, patético jogador de cartas, um desastre no amor. Mora numa casinha alugada com seu cachorro viciado em café e está apaixonado pela melhor amiga. Seu dia a dia é uma rotina de incompetência, até que, sem querer, impede o assalto a um banco. Então recebe a primeira carta: um Ás. É quando Ed se torna o mensageiro… Escolhido para socorrer, ele segue seu caminho na cidade ajudando – e machucando (quando necessário) – até que resta apenas uma questão: Quem está por trás de sua missão? Eu sou o mensageiro é uma jornada enigmática repleta de humor, socos e amor.

Ed é um zero à esquerda, é o filho mais odiado pela mãe, o pai morreu recentemente,  a única coisa que faz é beber, ler livros e jogar cartas com seu melhores amigos: Marv, Ritchie e Audrey – que por sinal, o faz sofrer na friendzone. Ah, e o seu cachorro é um personagem marcante na história (tanto que temos uma foto dele logo na página 4) ele se chama Porteiro mas é um tremendo molenga comilão que fede pra caramba haha

Acho que deu pra perceber que Ed tem uma vida pacata; mas isso muda após o assalto ao banco onde ele fica famosinho por conseguir deter o assaltante, mas na verdade o ladrão que era molenga mesmo. A partir de então, a  vida de Ed é virada de cabeça pra baixo.

Eu comecei ler esse livro super empolgada e tudo mais, mas chegou um momento em que eu meio que cansei da história, porque o coitado do Ed só se dava mal e a Awdrey me irritava por fazer ele sofrer por amor.

A história é narrada em primeira pessoa e Ed é nosso narrador-personagem. Ele tem um vocabulário meio coloquial demais, então se você está acostumado com palavras difíceis ou textos bem cultos, talvez não goste muito da história. Palavras como bundão, cagaço e alguns palavrões se repetem várias vezes ao longo do livro, mas nada tão intenso que te faça perder o foco da história ou que você se sinta ofendido.

Ao total foram 12 mensagens, 12 pessoas que precisavam de ajuda e 12 vezes em que Ed teve que ser forte. No começo foram mensagens para pessoas que Ed não conhecia, então ele tinha que descobrir o que aquela pessoa precisava. Mas as coisas foram dificultando quando ele teve que ajudar as pessoas mais próximas: sua mãe e seus amigos. Aí vem um ponto marcante da história: às vezes as pessoas que estão mais próximas da gente não nos contam seus problemas e nós não os percebemos ou não ligamos muito.

As mensagens variam bastante, algumas são bem simples enquanto outras são difíceis pra caramba… Por exemplo: A família Tatupu era bem pobre mas feliz, o natal estava perto e as crianças amavam as luzes de natal só que a maioria estava queimada, então Ed comprou novas luzes e mano, as crianças ficaram MUITO MUITO felizes. Teve também uma família onde o cara bebia pra caramba, abusava da esposa e a filhinha de 5 anos ia chorar na rua. Essa parte é bem intensa, Ed recebe uma arma junto com a mensagem e ele tem que tomar uma decisão bem difícil.

Se em algum momento eu cansei da história, saiba que depois eu fiquei fascinada e lia uma página atrás da outra e torcia pelo Ed loucamente. O final da história é muito cativante e assim como Ed mudou a gente muda também.

Tu é um homem morto, velho. Espera só pra ver… Se liga no que tô te dizendo. Lembre disso todo dia quando se olhar no espelho, malandro. Tu é um homem morto.

Às vezes temos que morrer para daí começar a viver… mas isso só vai entender com clareza aquele que ler o livro hahaha

Espero que tenham gostado! 😉

Comments

comments

4 thoughts on “Livro: Eu sou o Mensageiro – Markus Suzak

  1. Esse livro está na lista dos meus favoritos. Amo livros que me fazem pensar na vida, nos meus atos e que traz, não só uma várias, mensagens fascinantes em seu decorrer. O modo como ele passa de uma pessoa pessimista pra uma mais otimista e confiante me traz sentimentos bons, acho que por eu já ter sido tão pessimista quanto acabei me colocando no lugar dele e ver como isso só prejudica. Amei esse livro do Markus, mas não consegui ler a menina que roubava livros, amei o fato de ser narrado pela morte, mas a história parecia não desenrolar, espero conseguir ler este ano. Ótima resenha!!

    [Reply]

    Paloma Silva Reply:

    Oi!! Obrigada! ♥
    Então, eu tive esse mesmo problema de meio que me cansar em algum momento da história ( eu acho que o Markus curte fazer isso hahaha) porque nesses dois livros teve um momento que eu fiquei muuito: nossa, não sai disso!
    Mas fui forte e pensei na morte e aqui pensei no Ed kkkkkkk

    Pensa na morte então hahahaha Se você ler, depois me coonta! 😉
    Beijoos

    [Reply]

  2. Uhm… Num primeiro momento, me interessei muito por se tratar de um livro de Markus Suzak. “A menina que roubava livros” é genial! Mas, não sei se estou interessada em um livro com a história de alguém que sofre por amor haha (sim, entendi que vai além disso)!

    [Reply]

    Paloma Silva Reply:

    Hahahahaha então! Dá muita raiva mesmo, porque ele vê a menina com outro, ela acaba de fazer coisas sexualísticas (hahaha) com o outro e depois vai pra casa do Ed.. é triste kkkk
    Mas eles são amigos demais há anos, então o Ed tenta se controlar e entender o lado dela (ela não quer se apegar). Tem que ser forte hahahaha
    Mas se der, leia. O Ed é um cara legal! Kkkk ;D

    [Reply]

Troque figurinhas comigo! Comente sua opinião :)